Associação de Surdos da Ilha de S. Miguel
Sexta-feira, 27 de Junho de 2008
CONVÍVIO DE ANIVERSÁRIO

A Associação terá no próximo dia 29 o convívio para festejar o 15º aniversário. Será no Pinhal da Paz. Deseja-se bom tempo, um dia fraterno e um espírito de compreensão do outro.



publicado por asism às 15:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 14 de Junho de 2008
A EMPREGABILIDADE DOS CIDADÃOS SURDOS

É algo que nos preocupa. Nesse sentido solicitámos ao Sr. Director Regional do Trabalho e Qualificação Profissional uma audiência, a que anuiu,  no sentido de sensibilizar a sua Direcção para a problemática do cidadão surdo. Fomos ontem recebidos por uma assessora, de forma simpática, a quem expusemos as nossas preocupações (*).

E o que nos preocupa é que o insucesso escolar dos cidadãos surdos vai ter consequências, e muito graves, no acesso destes cidadãos ao mundo do trabalho. Sobre o insucesso escolar, já muito se disse aqui. Mesmo que se venham a melhorar as condições de ensino aos cidadãos surdos, há tempo perdido que afectou de forma dramática a vida de muitos. Muitos há que não conseguem ler, o que, desde logo, os limita na acessibilidade a um emprego. Nas faixas etárias abaixo dos 30 anos vão começar a surgir problemas graves. A Associação está a tentar que os cidadãos surdos ultrapassem as limitações do insucesso escolar. Nesse sentido fizemos uma campanha para voltarem à escola. O que já foi algum sucesso, pois resultou em matriculas. E outra campanha é sensibilizar os jovens, um a um, para o entusiasmo da aquisição de conhecimento. É tarefa difícil e exigente de paciência. E que requer sempre, mas sempre, a dedicação da intérprete da Associação.

Mas a Associação é muito pequena e frágil. Não pode fazer tudo sozinha. Nem se pode substituir aos organismos competentes. Só nos resta continuar a insistir para sensibilizar as autoridades competentes. E é uma luta contra o tempo.



publicado por asism às 16:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 10 de Junho de 2008
ENCONTRO DE ALUNOS SURDOS EM VILA FRANCA

Decorreu no passado dia 4 o encontro de alunos surdos da Ilha de S. Miguel. Se mais não fosse o evento valia, e muitíssimo, só pela constatação que as crianças se entusiasmaram imenso por terem mais crianças para conversar e conviver. Isolados em guetos de de 3 a 4 alunos por escola, este encontro permitiu, sem margem para dúvida, a percepção da realidade de uma comunidade surda. Até cidadãos adultos surdos vieram conversar. Tinham mais pessoas para conversar sem constrangimentos, ou seja, entendiam e eram entendidos. Foi o que todos entenderam. Foi um convívio agradável entre alunos, professores e técnicos. E Vila Franca do Campo estava acolhedora. Uma palavra de apreço para a equipa da escola de Vila Franca. Bem hajam pela iniciativa. Bem hajam todos os que tiverem iniciativas.



publicado por asism às 00:02
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 5 de Junho de 2008
CONCLUSÕES DO COLÓQUIO PROMOVIDO PELA ESCOLA EBI DOS ARRIFES

Conclusões

 

Data: 23/04/08

 

 

Colóquio:Práticas Pedagógicas Implementadas com os Surdos                                

                                                                                                                  

1ª A inexistência de recursos especializados na área da deficiência auditiva:

- Técnicos Profissionais de Língua Gestual Portuguesa;

- Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa;

- Terapeutas da Fala.

(Os concelhos mais distantes do centro da ilha de S. Miguel são os mais prejudicados, nomeadamente os da Povoação, e outros, localizados na ilha montanha, como por exemplo, o da Lajes do Pico);

 

2ª A dispersão dos Surdos pelos diferentes concelhos de S. Miguel contribui para a ausência de um sentimento de cultura surda (Comunidade Surda);

 

3ª Dada a dispersão acima referida, assiste-se a uma ausência de grupos de referência, permitindo que o atrás mencionado não se concretize;

 

4ª Constata-se alguma resistência por parte dos encarregados de educação relativamente  à aprendizagem pelos seus educandos da L.G.P. ;

 

5ª A não realização de formação específica na área da deficiência auditiva, no domínio da educação de surdos, e o bilinguismo, contribui de certa forma para que não se ministre o ensino bilingue da forma mais adequada;

 

6ª A ausência de uma coordenação efectiva da educação especial por parte da tutela, contribui para que não se realize encontros entre todo o pessoal docente e não docente que trabalha com esta população, à semelhança de outros tempos.

 

 

Dadas as constatações referenciadas, pensou-se tentar ultrapassá-las com as seguintes estratégias:

 

- Promoção efectiva de trabalho em rede com todas as unidades orgânicas com alunos Surdos, de forma a rentabilizar-se alguns recursos humanos inexistentes em algumas escolas;

 

- Utilização de equipamento multimédia de forma a aproximar os surdos, contribuindo para que a Comunidade Surda venha a ganhar outra amplitude;

 

- Criação de um espaço onde os alunos surdos possam conviver semanalmente para que o sentimento de cultura surda passe a ser uma realidade;

 

- Envolvimento da Associação de Surdos da Ilha de S. Miguel nas questões da educação relacionadas com a população em causa, de forma que sejam parceiros activos junto da tutela e de determinados sectores da sociedade para a resolução dos mesmos;

 

- Promoção de encontros entre os docentes, e demais técnicos, que desenvolvam actividades com a população em causa;

 

- Implementação de formação específica para todos os docentes que estejam implicados directamente com os surdos, quer sejam do ensino regular, quer sejam do ensino especial;

 

- Celebração de “protocolos” com o Instituto Jacob Rodrigues Pereira da Casa Pia de Lisboa, de forma a estreitarem-se laços com os alunos surdos e outros técnicos;

 

- Sensibilização da tutela para o desenvolvimento de um projecto que vá ao encontro das necessidades concretas da população surda, (independentemente das escolas serem detentoras de autonomia), cuja intervenção se pautará por regular o normal funcionamento do sistema regional de educação.

 

 

 

 

 

 

Arrifes, 14 de Maio de 2008

 

 

 

O Secretário

 

Mário Jorge Oliveira Medeiros

 



publicado por asism às 14:27
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 2 de Junho de 2008
NECESSIDADES DE FORMAÇÃO

Veja-se aqui o plano de actividades do STEDA, Serviço Técnico de Educação de Deficientes Auditivos, da Direcção Regional de Educação Especial, da Secretaria Regional da Educação da  Madeira (esta estrutura não tem paralelo/não existe, nos Açores). Que já reservou para Setembro formação para técnicos e professores na área da surdez. Preparando o necessário para as novas regras.

 



publicado por asism às 13:51
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

DIVERSIDADES

LUTAR PELOS DIREITOS DOS ...

BOM ANO DE 2010

HOJE HOUVE ELEIÇÕES

OS ALUNOS SURDOS NA TERCE...

JÁ SE ENSINA LINGUA GESTU...

RECOMEÇOU A ESCOLA

O CAMINHO FAZ-SE CAMINHAN...

REUNIÃO COM PAIS DE ALUNO...

ACTIVIDADES

arquivos

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds